Porque comer menos açúcar?

Açúcar não combina com saúde

Comer menos açúcar é algo que muita gente quer fazer e pouca gente consegue. Faço parte desse time.

Parece que dá uma fome só de pensar no assunto. Mas pesquisando sobre o tema descobri alguns motivos mais que interessantes para pelo menos tentar. E não tem nada a ver com “obesidade” e “perda de peso”.

O primeiro deles é que o açúcar diminui a nossa resistência à insulina, isso quer dizer que pode promover o aparecimento da temida diabetes tipo II.

E ainda precisamos dizer que seu consumo pode provocar doenças cardiovasculares e a doença hepática gordurosa não-alcoólica, o famosa cirrose.

Mas tem um detalhe que pouca gente sabe sobre o açúcar: ele altera a quantidade e a qualidade dos microorganismos existentes em nossos intestinos fazendo com que tenhamos dores por causa de uma infecção crônica de baixo grau.

Esse último sintoma é bem chato.

Menos açúcar mais vigor

Começar uma rotina de atividade física é bastante motivador. Porém, é preciso também pensar no combustível que vamos utilizar na nossa máquina.

Por enquanto a minha planilha é bastante simples: o compromisso de fazer 15 minutos de atividade, três vezes por semana. Então não precisaria fazer nada de muito complicado, mas gostaria de aproveitar esse momento bastante calmo para repensar a minha alimentação.

Quero retomar hábitos que valorizo e me fazem funcionar melhor: deixar de lado alimentos industrializados, consumir poucos carboidratos simples, quase nada de açúcar refinado, pouco sal, beber muita água e comer apenas com fome.

Meu objetivo específico desse mês é acabar com o consumo de açúcar escondidinho na pratada de arroz com feijão, torradinhas, geléia e massas. Sem falar naqueles docinhos que vão virando hábito aos poucos. Gengibre com açúcar ainda é açúcar e ponto. Fazem com que me sinta letárgica e sem vontade de nada.

Mas porque mesmo?

Por muito tempo fiquei me perguntando se estava procurando desculpas para lidar com meu peso. E falando muito francamente, ainda não tenho resposta pra essa pergunta.

Será que estou usando duas artroses como desculpa para perder peso? Estou sendo sincera comigo mesma? A gente sabe como a “saúde” é usada para produzir e reproduzir violência contra mulheres gordas.

Como feminista esse é um dilema com qual me deparo todos os dias.

Por outro lado minha vida prática tem se tornado mais complicada cada dia. Não consigo mais andar sem sentir dores nos pés, eles ardem de dia e de noite. Já não consigo subir mais que dois lances de escada sem sentir completamente exausta e com muitas dores nos joelhos. Até mesmo levantar de uma cadeira está ficando difícil.

Menos açúcar

As pessoas costumam me dizer que sinto tudo isso porque engordei. Só que fico me perguntando se todas essas dores são resultado de uma vida sedentária e não do meu peso. E tenho cada vez mais certeza disso.

Então meu primeiro objetivo não é de fato perder peso mas ter uma alimentação gostosa, que não seja um gatilho para qualquer transtorno alimentar. Que me forneça energia e vitalidade nos próximos meses para ter sobretudo energia e um mínimo de saúde mental para treinar.

Estou cansada de me sentir descarregada, com crises menstruais acentuadas, mudanças de humor muito fortes. E a alimentação me ajuda com tudo isso. Fico com a pele mais viva, até as espinhas e dor no intestino (por causa do consumo excessivo de açúcar) vão embora.

Também vou aproveitar esse tempo para decidir se quero perder peso e como. Mas a primeira aposta para acabar com as dores vai ser mesmo atividade física, moderada e feliz. E uma alimentação voltada para uma rotina de cuidados contra a bipolaridade e o câncer.

E anotem amiguinhas, ainda quero fazer meu triatlo 🤸🏾‍♂️🤸🏾‍♂️🤸🏾‍♂️ que sonhar não custa nada!

Imagem: Pexel

1 comment
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You May Also Like