Mulheres negras fazendo história no tênis

O assunto dessa semana foi a partida de tênis entre Naomi Osaka e Coco Gauff. E até pareceu uma grande novidade.

Coco Gauff e Naomi Osaka, por Jimmie48 Photography/WTA
Coco Gauff e Naomi Osaka, por Jimmie48 Photography/WTA

Mas não é. Quando a gente joga tênis é sempre assim.

No espacate e no sapatinho, lutando pelo direto à genialidade.

A gente se vê aqui: Naomi Osaka & Serena Williams

Naomi Osaka ficou “conhecida” depois de ganhar de Serena Williams na final do US Open em 2018. Na ocasião a mídia, como sempre, construiu mais um frenesi em torno de Williams, fazendo com que sua reação para com um dos árbitros fosse lida como uma agressão contra a japonesa. A reação de Osaka acabou redefinindo tudo.

Tênis: Serena Williams
Serena Williams, a rainha <3

As pessoas confundem raiva por força porque não sabem diferenciar entre as duas. Ninguém se se ergueu da maneira que você fez e você precisa continuar abrindo caminhos.“, disse Naomi Osaka # sobre a americana para resumir uma estória que estava longa demais. A tenista tem tamanha reverência por Serena Williams que chegou a se desculpar por ganhar aquela final. E recentemente confessou que sequer consegue cumprimentar sua ídola.

É alguém para quem eu sempre olhei a minha vida toda sabe. Então ainda me sinto um pouco chocada quando ela chega. E, não sei. Não digo “oi” ou qualquer coisa para ela porque… Fico nervosa. Ela sempre parece estar fazendo algo muito importante, então não quero interromper.

Naomi Osaka # sobre Serena Williams
Tênis: Naomi Osaka
Naomi Osaka é coisa nossa!

E acredite, a recíproca é verdadeira. Serena Williams escreveu uma linda carta em que afirma “não poder esperar pelo seu futuro” de Naomi Osaka, se declarando uma grande fã da tenista que vem ganhando espaço num dos cenários mais competitivos do esporte, não apenas pelo seu talento mas também humanidade.

Falando juntas: Coco Gauff & Naomi Osaka

Quem não viu o show de profissionalismo, empatia e jogo bonito da japonesa contra Coco Gauff? Venceu, mas venceu como quem faz História. E mostra com quem aprendeu. Ao ser chamada para a entrevista a ser concedida à vencedora, fez questão de chamar sua colega dizendo que era importante que o mundo soubesse o que ela estava sentindo. Que seria melhor “do que chorar no banheiro”.

Tênis: Coco Gauff

E foi então que juntas quebraram as regras da mídia em que apenas ” a vencedora” falaria. Um dos momentos mais emocionantes na história do esporte mundial, em todas as modalidades. Estavam ali naquela entrevista não como adversárias mas como colegas, onde havia espaço para que as duas falassem após a partida. Entre todas as coisas que Naomi Osaka disse aquele dia, uma tocou meu coração.

As pessoas estão aqui por você.

Naomi Osaka para Coco Gauff

Uma atitude que tem muito menos a ver com sororidade e muito mais com respeito, colocando o jogo em seu devido lugar. A partida era um mero detalhe, do outro lado estava um ser humano. Uma tenista de 15 anos que certamente há de se inspirar nesse momento.

Se alguém não estava reparando…

Alguns dias antes da partida, Coco Gauff que foi apontada como uma tenista que bravamente está escrevendo sua trajetória no esporte com importantes vitórias, disse que a pior coisa do mundo no tênis é perder. O que em seu caso poderia colocar em risco patrocínios milionários. Mas talvez não precise ser assim, mesmo num esporte tão competitivo como o tênis temos construído outras narrativas:

“Para mim, apenas pensei que queria vê-la saindo bem da quadra. Queria que ela estivesse de cabeça erguida e não saísse andando triste.”, disse Naomi Osaka sobre Coco Gauff.

Se alguém não estava reparando, é assim quando a gente joga.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You May Also Like