Aptidão física é mais que um número na balança

Aptidão física é a capacidade que temos (ou não) para executar com prazer, conforto e segurança uma atividade física qualquer. É relacionada com a sua qualidade de vida, forma física e segurança.

Para entender isso um pouco melhor, imagine a cena.

Numa ocasião social qualquer, um ser humano indiscreto pergunta sobre o seu peso, se dizendo preocupado com sua “saúde”. Considerando que essa pessoa é uma desconhecida, deveria em primeiro lugar ficar quieta. Mas se é uma amiga íntima e quer ajudar, estaria mais interessada na sua aptidão física. Ei amiga, você consegue (insira aqui uma atividade física que você gosta ou precisa executar em seu dia a dia)? E se não consegue, o que preciso fazer para estar junto de você?

A avaliação da aptidão física que se diga de passagem, deveria ser feita inclusive para pessoas magras. Afinal, ter um peso baixo não significa ser capaz de correr, subir uma escada ou colocar a mão no pé sem dobrar os joelhos. Muito menos de fazer abdominais ou nadar por meia hora. E quando não dá para fazer isso, o ideal é que não julguemos as pessoas pelo que podem ou não fazer, porque o nome disso é capacitismo.

Dito isso, uma perguntinha vem à mente…

Quais são os tipos de aptidão física?

01. Força Muscular: é a capacidade que um determinado grupo muscular tem de exercer força pontualmente. Por exemplo: levantar um par de halteres com as pernas ou as mãos. Tem a ver com a imagem do levantador de peso nas olimpíadas, que segura uma enorme quantidade de peso por alguns segundos.

02. Resistência muscular: é a apt6idão física que nos permite exercer uma atividade ao longo do tempo. Tem a ver com a imagem de uma pessoa na academia, tendo que executar muitas repetições com o mesmo pesinho na mão. Levantar 5 quilos uma ou duas vezes é uma coisa, mas repetir o feito uma dezena de vezes é outra bem diferente. No triatlo essa é uma capacidade fundamental, considerando que é preciso ter “pernas” e “braços” para que te quero!

03. Resistência aeróbica: é a capacidade que nosso sistema cardiorrespiratório tem de funcionar adequadamente. É diferente de explosão, que tem a ver com um esforço pontual. Aqui a imagem é a do bailarino de frevo, cujo coração é bastante requisitado. Essa é uma das principais capacidades do triatlo, pois precisamos treinar e conseguir fôlego para enfrentar os treinos e as provas.

04. Flexibilidade: é a aptidão física que temos de nos movimentar com fluidez e amplitude, sem travar aqui e acolá. Aqui imagem é a de uma pessoa que tenta alcançar os pés com as mãos sem dobrar os joelhos. É importante para ao triatleta em todas as modalidades: braços e pernas alongadas além de uma boa postura te levam mais longe! A figura é da contorcionista.

05. Equilíbrio e priopercepção: é a capacidade de manter nosso corpo alinhado e de nos mantermos conscientes sobre ele. É muito importante para os triatletas que precisam “navegar” seus corpos no mar, manter a boa postura durante todas as modalidades. A imagem aqui é a da bailarina girando sobre o próprio eixo.

Adeus balança!

Mas porque não considerei aqui a famosa composição corporal?

É muito provável que a grande maioria dos profissionais da educação física discordem de mim, mas acredito que medir se uma pessoa tem mais ou menos gordura no corpo não é de fato produtivo numa sociedade que considera pessoas gordas incapazes. Me parece muito similar ao uso da balança, que separa as pessoas pelo seu peso. Sendo que as mais magras são consideradas automaticamente capazes e as pessoas gordas não.

Então não, deixei essa medida de lado. Bye Felicia!

Créditos: Giphy e por Nappy do Pexels

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You May Also Like