Ahmaud Arbery, corra com o mundo por ele

O único site esportivo que li falando de Ahmaud Arbery foi o Runners World. Ele foi executado enquanto corria por dois homens brancos, pai e filho. Alguém escreveu que treinar não deveria ser uma sentença de morte. Mas se você é uma pessoa preta nos Estados Unidos, e em muitos lugares, isso é uma realidade. Toda precaução se faz necessária.

Há um vídeo mostrando como tudo aconteceu mas não tive coragem de ver.

“Estamos convidando corredores em todo o país e ao redor do mundo a encontrar sua rota favorita, seu parque favorito, sua esteira, seja lá o que for que você faça como rotina, e venha junto e dedique 2.23 milhas (3.58K) e seus exercícios para Ahmaud e poste um vídeo, uma foto, ou uma messagem com a hashtag”, escreveu o treinador de Ahmaud Arbery.

@blackmenrun

#IRUNWITHMAUD

E você, já correu hoje?

O chamado de Coach Jason Vaughn já rendeu milhares de posts sobre a hashtag #IRUNWITHMAUD e o assassinato do jovem de 25 anos, morto a tiros à queima roupa. O grupo @blackmenrun respondeu com essa imagem em seu perfil. Além disso, atletas como Mirna Valério também foram rápidas em abraçar a causa.

As corridas vão durar o mês todo. Ou seja eu queria muito ver a galera da maratona de garagem aderindo. Se puder leia o maravilhoso texto que Faith Briggs fez sobre o caso: White fear has historically been more justifiable than Black life. That is deeply racist and it is deeply American. Sim está em inglês infelizmente, mas com a juda de um tradutor online é possível ler sobre o caso.

Você fala e a gente escuta